Buscar
  • Simplifica Direito

Começando a advogar.



Para simplificar o Direito e explicá-lo sem complicações é necessário conhecimento. É preciso saber muito para tornar o difícil, fácil. O complicado, simples. É muito mais difícil escrever pouco do que escrever muito, entendeu?

Na minha experiência forense de mais de vinte anos, percebo sempre que Direito é bom senso. O resto são filigranas e tecnicalidades que não levam ninguém a lugar nenhum. É excessiva processualística. Vamos limpar o direito disso tudo, vamos te entregar o direito em estado puro, fácil e rápido.

Compilar, resumir, simplificar, é o segredo de tudo na vida. Pra ganhar tempo, sofrer menos, se divertir mais – porque a vida é curta.

Advogado em início de carreira, por exemplo, sempre hesita e treme na hora de contatar clientes e seus familiares, ou de representá-los em fóruns, repartições e delegacias de polícia. Só que não deve e nem precisa ser assim. O Direito é a ferramenta da paz social por excelência. Não tenha medo. Você só está trabalhando. Você só está começando. E tem todo o tempo do mundo para aprender, errando e acertando. De forma simples.

Atente para a sua postura profissional. Existe uma expressão em inglês sem tradução literal para a nossa língua: “pleasant”. Significa que devemos ser sempre obsequiosos e elegantes no trato e é como devemos nos portar nos ambientes profissionais. A eloquência não é importante em contatos com clientes ou rápidas conexões profissionais, nessas horas o que vale é dizer pouco e dizer bem, com calma e presteza, quase como se estivesse agradecendo a uma gentileza, entendeu? Não se perde nada por ser solícito, calmo e cortês. É assim que o advogado vai conversar com a família do cliente e com o cliente, na delegacia. Ou com o escrivão na secretaria forense. Vai transmitir calma e prometer fazer o máximo dentro do que é legalmente possível.

Em uma delegacia, com o cliente preso (por exemplo), o jovem advogado deve pedir aos policiais com polidez para conversar com o seu constituinte. Vai aguardar o delegado pacientemente enquanto também acalma aos familiares do preso. Vai, aliás, transmitir calma a todos, com educação e falando baixo. Não é hora de ser tribuno. É hora de trazer paz para pessoas que estão em uma situação naturalmente hostil. Esses são segredos da prática profissional que não são falados nas faculdades!

Este tipo de prática tem um nome difícil, se chama abordagem cognitiva e emocional. Para exercitá-la, basta ser gentil com todas as pessoas que encontrar ao longo de sua trajetória na advocacia. Tenha paciência principalmente com servidores dos escalões intermediários: você não sabe, mas eles dominam na prática o funcionamento dos fóruns e instituições de segurança pública. Tenha linearidade de conduta, coisa que se aprende desde muito cedo na educação doméstica. Trate bem a todos, indistintamente. É assim que se começa a advogar: abrindo portas, com carinho, fazendo contatos, deixando boa impressão onde atua profissionalmente. Nunca fechando portas rudemente, bancando o bravo ou comprando brigas desnecessárias. Porque o Direito é simples, assim como a vida. Nós é que equivocadamente complicamos as coisas.

19 visualizações0 comentário